segunda-feira, 10 de maio de 2010

Às vezes esperamos tanto dos outros que freqüentemente nos sentimos frustrados por não termos todas as nossas expectativas correspondidas.

Isso ocorre em geral, porque nos relacionamos com as pessoas partindo de nossas próprias referências pessoais.

Mas, será que o outro é obrigado a atender ou corresponder aos meus anseios?
A base para começarmos a lidar com outras pessoas de forma eficaz é nos conscientizarmos de que as diferenças é que compõem a vida. Cada pessoa é um ser único no Universo, com sua própria história e jeito de ser.
Mas em geral, esquecemos isso e esperamos que o outro aja conforme nós agimos.
Antes de compreender e aceitar a diferença do outro, devemos compreender e aceitar nossa própria singularidade – não nos culpar por não sermos como o outro quer que sejamos, reconhecer que podemos errar, que somos limitados e que não atenderemos sempre ao que o mundo espera de nós.
É assim que podemos perceber que não é tão difícil conviver com o diferente e pararmos de agir com o outro como se esse outro fosse nossa extensão ou como se fosse nós mesmos.