domingo, 24 de julho de 2011

INDIGNAÇÃO E DESFAVOR!!!


Morreu Amy Winehouse. Não, não estou te trollando, ela morreu mesmo. E não, o Desfavor da Semana não é sobre a perda de uma grande cantora e todo o blá blá blá que você vai ouvir e ler por aí. O Desfavor da Semana é a glorificação do estilo de vida DE MERDA que ela levava e todo o endeusamento que essa drogada idiota vai receber. Impressionante como pessoas sobem vários degraus de status social quando morrem.
Ok, você pode até achar que ela canta bem, mas, responda sinceramente: se ela não fosse extremamente polêmica/auto-destrutiva, será que seria tão famosa? Coisa mais anos 80 fazer esse papel de "genialidade sofrida", de ídolo transtornado que se destrói até morrer. Vai desculpar, mas eu acho isso brega. Eu não tenho qualquer admiração por Amy Winehouse. Canta bem? Pode ser, mas tem tantas pessoas que cantam bem e não são idiotas e imbecilóides!
Por melhor que ela cante, acho que foi coisa de OTÁRIO pagar para ver um show dessa mulher. Ela entrava drogada, errava a letra, ficava cambaleante. Mas esses pseudo-atorezinhos-intelectualóides globais pagavam e achavam aquilo muito cult, muito genial. Vão se ferrar! Não lamento nem um pouco a morte de Amy, foi praticamente seleção natural. Lamento a morte de quem não fez nada e acaba sofrendo uma fatalidade. Amy procurou o que teve e, sinceramente? Até que durou demais!
Acredito que aconteça com ela o estranho fenômeno da divinização das pessoas mortas. Um saco, os cornos feios de Amy vão aparecer em tudo quanto é lado e sua voz forçada para parecer uma cantora negona vai nos paunocuzar de forma onipresente. Só a gente consegue ver que ela NÃO VALE tanto confete? Cantar bem não te autoriza a fazer infinitas cagadas na vida pessoal. Amy é digna de desprezo e não de admiração. A minha admiração eu guardo para quem canta bem E tem cérebro.
Amy não é cult, é uma idiota. Amy não expressa o sofrimento humano e sim a fraqueza. Ela não sofria nem mais nem menos do que todos nós ao longo da vida, apenas optou por se entorpecer e não encarar os problemas de frente. Lamento por quem pensa que porque se trata de um "artista" tem o direito de ser problemático. Lamento mais ainda por quem é imbecil de pensar que um artista problemático ganha um toque de glamour.
Também quero deixar meus parabéns para a família dela, por ter permitido que ela se mate lentamente na frente do mundo todo. Ok, é uma pessoa adulta, fica mais difícil de ajudar, mas quando se tem tanto dinheiro e recursos disponíveis, fica fácil conseguir uma interdição judicial da pessoa (um juiz declara que a pesso não está apta a tomar decisões sobre sua vida) e interná-la à força em alguma boa clínica ou coisa do tipo. Mas não, neguinho deixou correr solto. Ela ia para a rehab, passava um ou dois meses (se tanto) e depois saía. Tava na cara que não ia prestar. Tem que deixar em isolamento por anos, não por meses.
Ela não queria? Drogado não tem que querer. Eu sei que não é fácil, mas é possível. Se for o caso, deixa na rehab o resto da vida, o que não pode é devolver para o mundo artístico, onde ela terá contato quase que certo com drogas. Não pode voltar para um mundo onde entorpecentes são quase que sinônimo de status. Muito bacana a família dela. Famílias não cheias de dinheiro não podem ajudar muito a um drogado, mas a família de Amy podia. Preferiram não contrariá-la e deixá-la morrer. Por mim tudo bem, eu acho que quem quer se matar merece alcançar seu objetivo.
Sem contar que não foi uma surpresa para ninguém o fato dela estar abusando de drogas e alcool, ao contrário de outros casos como Michael Jackson. Se fosse uma coisa oculta, eu até dava um desconto. Mas vários médicos avisaram de forma pública que se ela continuasse assim não teria mais de seis meses de vida. Isto pedia ou não pedia uma atitude extrema? Todo mundo assistuiu a auto-destruição de Amy. Família, amigos, fãs. Assistiu e deu ibope. Foi a show, comprou CD, recompensou o personagem que ela criou. Agora todos lamentam? Ora, vocês alimentaram isso! Se as pessoas tivessem o bom senso de desprezar gente que faz estas coisas e ela não obtivesse sucesso PORQUE usou drogas, quem sabe ela teria parado.
Queria ver se ela fosse uma mãe de família com dois filhos, casada, que cozinha bolo com avental. Garanto que estaria no anonimato ou muito menos famosa do que é. Porque drogado sofredor tem glamour na sociedade. Um grande desfavor. Escutam uma drogada dentro de casa, prestigiam, chamam a mulher de gênia e depois ficam super chocados quando descobrem que os filhos usam drogas. Uma coisa é um artista usar drogas. Outra coisa é um artista ser movido a drogas. O combustível de Amy eram as drogas. Prestigiar alguém assim é validar sua conduta.
Numa boa? Eu nem acho que ela cantava tanto assim. Tira o penteado, tira os escândalos, tira a atitude bizarra, tira a maquiagem. Bota de cara lavada, calça jeans e blusa branca sozinha com um banquinho e um violão. Já vi coisa melhor. Mas as pessoas adoram idolatrar a decadência, talvez porque é bom pensar que mesmo que qualquer um de nós fique decadente ainda pode ser admirado.
Idolatrar Amy é glorificar seu estilo de vida bêbado e drogado. Lamentar a morte de Amy é validar suicídio. A mulher queria morrer faz tempo, conseguiu o que queria e eu a acho uma idiota por causa disso. O fato dela cantar bem (ou não) não muda em nada o fato dela ser uma imbecilóide indigna de admiração.
Infelizmente as pessoas não entendem isso. Cantar bem já perdoou coisa pior, tipo pedofilia (Michael!). Talvez eu tenha errado em fazer administração, talvez eu devesse ter sido cantora, assim teria o aval social para fazer qualquer merda que eu quisesse se cantasse bem, encoberta pelo manto de "artista atormentada". Com a diferença que eu não me mataria, mas, vou te contar, mataria um monte de gente!
Amy: já vai tarde. Tenho pena de quem QUER viver, de quem cuida de si e ainda assim a vida lhe é tirada. De Amy não tenho não. Quem planta merda colhe bosta. Pena que tem gente idiota o bastante para bater palmas para quem está colhendo bosta.

CHEGA!!!! TÔ REVOLTADA HJE!!!